domingo, 15 de março de 2009

Meu pai tirou meu cabaçinho....



  • A experiência que hoje compartilho com vocês, aconteceu no ano de 1.998. Já faz 10 anos. Nunca ninguém ficou sabendo disso e nem poderia porquanto tratou-se de uma relação incestuosa. Eu vivia com minha mãe que era separada do meu pai. Ele morava em Maceió. Minha mãe se casou novamente. Tentei morar com ela e o meu padrasto, mas não deu certo o convívio com ele. Por esta razão, fui morar com meus tios, mas também não me adaptei. Meu pai, condoído com a situação e recém saído do segundo casamento completamente desgastado, convidou-me para morar com ele em Maceió. Quando fui morar com ele, tinha acabado de completar 18 anos e meu pai contava com 42. Apesar de a gente não ter tido muito contato na minha infância, nosso relacionamento era muito legal e, talvez, esta distância de pai para filha facilitou os acontecimentos. Ficávamos altas horas conversando, vendo TV, jogando vídeo-game. Era super legal. Comecei a perceber algo diferente no meu pai quando arrumei um namoradinho. Ele ficou muito puto com o meu namoro até que terminei. De início, pensei que era ciúmes de pai. Mas, foi esse ciúmes que me fez abrir os olhos, pois, passei a perceber certas atitudes do meu pai que até então não percebia. Ele me tratava como se fosse sua propriedade; queria mandar nas roupas que eu colocava. Comecei a flagrar certos olhares, principalmente, quando me preparava para ir à praia e onde eu estava, lá estava ele na minha cola. Eu já estava formada com corpo de mulher e apesar de já ter 18 anos, ainda era virgem. E nessa idade, toda mulher gosta de ser cobiçada, olhada. Não queria que esta cobiça partisse do meu próprio pai, mas era isso que, de fato, estava acontecendo. Só sei que os olhares dele se intensificaram a ponto de ficar uma situação meio constrangedora. A pior coisa que eu fiz, que é típico de adolescente, foi se abrir com a minha melhor amiga da época. Disse a pior coisa, porque ela me orientou que se fosse pra eu ter certeza que meu pai estava me cobiçando, eu deveria dar uma “certa bola” pra ver qual era a dele. Fiz isso e pra piorar a situação, não consegui segurar a onda. Cada vez mais as coisas estavam se agravando. Chegou ao ponto de ter até comentário dele do tipo que meu corpo era lindo. Chegou a falar até dos meus seios um dia em que estávamos tomando banho de mar e as ondas descobriram um dos meus seios, quando ouvi das palavras dele que eles eram lindos. Isso me deixou intrigada. Não sou falsa moralista e, por isso, confesso que estava gostando da situação, tanto que passei a me insinuar também. Não tinha mais pudor em ficar na sua presença só de camisola sem nada por baixo, de ficar com micro-shorts. Lembro que em casa tinha uma rede e lá eu ficava quase todas as tardes. Achei muito estranho que certa vez, meu pai deitou primeiro nela e me chamou pra deitar também. Hesitei no começo, mas de tanto ele insistir, aceitei. Foi uma situação constrangedora, pois ficamos de uma tal maneira que eu sentia completamente o seu pênis super excitado e se encostando nas minhas nádegas. Ninguém falava nada. E esta sensação me deixou mais propensa a pensar besteiras, pois, sentia que meu pai era super avantajado. Estes “descansos” de fim de tarde viraram rotina. Ficamos nessa safadeza por quase um mês chegando ao absurdo de ele “encaixar” o pênis dele no meio das minhas nádegas (claro que sem tirarmos a roupa). Um dia ele simplesmente não agüentou, pois, estávamos deitados de lado dentro da rede e eu estava na frente de costas pra ele. Daí, ele me falou se podia fazer uma coisa e eu respondi que dependia do que seria. Ele não hesitou e como já estávamos praticamente grudados um no outro, ele começou a deslizar uma das mãos, que já estava na minha barriga, em direção da minha virilha. Senti até cala-frio naquela hora, mas eu não disse nada e talvez pela minha quietude, quando me dei por conta, ele estava acariciando toda a minha vagina com uma mão e já havia metido a outra mão num dos meus seios. Nunca tinha sentido um homem e a sensação era muito boa. E ele sabia disso. Foi tão boa que deixei a mão dele completamente molhada. De um dado momento, ele desceu da rede e mandou que nela eu permanecesse. Começou a escorrer a língua começando da minha barriga e ao chegar na minha vagina eu já estava literalmente vendo estrelas. Ele ficou quase uma hora chupando a minha vagina, chegando ao ponto de fazer o mesmo no meu ânus. Eu sentia um misto de nervosismo, vergonha e tesão. Ele ia me conduzindo, pois, eu parecia uma “mosca morta” naquela hora e quando ele tirou pra fora o pênis e apesar de ser meu pai, eu tive a certeza que naquele dia iria virar mulher nas suas mãos. Tive a confirmação que até então era presunção: era enorme o pênis dele. Essa noção do que é considerado grande ou pequeno, eu tinha somente por força de filme pornô que eu cheguei a assistir e através de comentários das minhas amigas. Lembro que naquele dia, não tínhamos nenhum tipo de lubrificante e muito menos camisinha e mesmo assim, ele encheu o pênis dele e a minha vagina de cuspe e, direcionando a situação, deitou de barriga pra cima e mandou que eu começasse a sentar em cima dele ficando de costas pra ele (tipo cavalgando). Disse que nesta posição, por eu ser virgem, teria maior controle para não doer. Só sei que eu tremia de nervosismo feito vara verde e para eu ser penetrada foi um martírio. Quando o hímen se rompeu foi uma dor intensa. Parecia que eu estava sendo rasgada por dentro. Deixei o saco dele todo ensangüentado. Sinceramente, não consegui gozar na primeira transa que tive com ele e não vou ser hipócrita de dizer o contrário, pois, a dor foi muito grande. Quando ele gozou pela primeira vez, foi muito estranho. Foi até engraçado, porque na hora eu tive a sensação que ele estava urinando dentro de mim de tanto que ele despejou. É muito estranho pensar e falar isso, mas apesar da dor, de vergonha e nervosismo, eu estava curtindo o momento. Pior que no dia seguinte, acordei com minha vagina completamente inchada, vermelha e dolorida. Meu medo era de ter engravidado, mas ainda bem que isso não aconteceu. Depois daquele dia, ficou uma situação muito chata entre a gente, pois, mal nos falávamos de vergonha um do outro. Por esta razão, ele teve a iniciativa de ter uma conversa séria comigo e me falou que apesar das evidências, tínhamos que encarar o ocorrido como uma normalidade. De início não consegui pensar desta maneira. Nos abrimos e combinamos que nunca ninguém iria saber disso. Lembro que depois de uns três ou quatro dias, eu acordei de madrugada com o maior susto, pois, ele havia ido ao meu quarto e estava literalmente chupando a minha vagina. Não deu outra; transamos aquela madrugada inteira. Nunca senti tanto tesão daquele jeito, nem mesmo com meu atual marido. Perdi as contas de quantas vezes gozei. Ficamos nessa vida por quase um ano transando praticamente todos os dias, tanto que passei a tomar anticoncepcional. Colocando de lado a anormalidade que eu vivia, era muito bom transar com ele. Sem medo de exagerar, ele tinha um pinto sarado e era do tipo “sacudo”. Tive a pachorra de naquela época medi-lo e constatar 19cm. Eu lembro que eu ficava deitada de barriga pra baixo e ele colocava uma almofada enorme que tínhamos entre a minha barriga e a cama de modo que eu ficava com as nádegas completamente empinadas. Era muito tesão esta posição porque eu sentia todo ele dentro da minha vagina. Quando arrumei um namorado, que hoje é meu marido, ele não aceitou. Começou a me contrariar em tudo até que eu resolvi sair de casa. Hoje sou casada, tenho duas filhas lindas, e nossa relação (pai e filha) meio que esfriou. A gente se vê as vezes, mas nunca mais tocamos neste assunto. Na verdade esse acontecimento ficará guardado nas nossas memórias. É incrível, mas quando eu o vejo, logo vem na minha cabeça esse acontecimento. Mas, tento afastar esse pensamento e tocar a vida.

3 comentários:

bieel 8 de junho de 2011 22:22  
Este comentário foi removido pelo autor.
alex2009 19 de janeiro de 2012 09:42  

é uma história incrivel apesar de ser pai e filha
mas fazer oque a carne é fraca

confidencial carlos 1 de fevereiro de 2014 16:04  

Carlos um homem bem adiante do meu tempo.
Apresentação
Três amigos Carlos, Marta, Fabiano que curtem sexo, não desejamos expor nossa imagem em casas de swing, clubes ect, porque não expor nossa imagem, como tantos fazem um dos motivos digamos que pertencemos a um seguimento religioso e desta forma com dogmas a ser seguidos. Penso que como nos algumas pessoas tem seus motivos e não podem se expor, adoram sexo desejam sexo todos os dias, mas não desejam expor sua imagem na rede ou em circuito fechado pois podem vazar para rede.
Então resolvemos nos organizar dentro de uma irmandade, não inventamos nada apenas aprimoramos o que já existe, vejamos mesmo no século 21 temos sociedades fechadas.
Por outro lado temos pessoas com relacionamento estável, Mulheres, noivas com namorados, casadas, Homens casados com aproximadamente entre 1 a 50 anos de relacionamento estável, uma família estruturada, mas que o parceiro (a) já não rende tanto como antes creio que você entendeu, estas pessoas desejam apenas sexo, e seu parceiro não aceita outra pessoa cito sexo a três, estes casais não desejam terminar seu relacionamento nem pensão em terminar, como resolver este dilema dentro de uma Irmandade.
Solteiras e Solteiros são bem vindos, nosso filosofia de vida sexo com respeito, segurança, (sem o valor financeiro como moeda de troca) sexo sem pagamento, sexo por prazer e afinidade, sexo por amizade.
Etnia são todas bem vindas, sua cor, seu porte físico, seus quilinhos a mais ou a menos, sua beleza física, não somos amigos de pessoas usando este critério, então não se preocupe para nos o mais importante e seu caráter, seja você travesti, mulheres bissexual, Passivos.
Século 21 temos mulheres e homens que desejam sexo com segurança e ficam em duvida aonde buscar este prazer com total privacidade de sua imagem, dentro de uma Irmandade vocês vão ter.
OBS, todos são bem vindos a Irmandade
Primeiro contato por e-mail não coloque seu e-mail em nosso perfil, pois desta forma você se expõe, seu endereço virtual e todos ficam sabendo e passam a ter acesso a você. Tem duvidas pergunte bsbdfconfidencial@gmail.com

Um abraço Carlos.

Postar um comentário

Esta Página contém posts e comentários.

  

voltar ao topo